martes, diciembre 28, 2010

A arte da maternidade

Criar filhos para serem independentes.
"Mãe, mas o que tu queria que eu fizesse? Tu tava parecendo um leão fazendo grrrrrrrrrrrr"
E ela tem razão, eu tava.
Meu interesse primeiro na vida é estar cercada de seres independentes, como eu também tive a ânsia de ser.
Nunca dependi de opinião, aprovação, auxílio. Quando eu pedi abraço sempre ganhei, sempre dei.
Ajuda para tarefas de casa, não. A minha velha mãe/miss/filha/professora/chorona diz: "Minha mãe nunca me ajudou com os temas".
E tá... Fazia, pesquisava, entregava. Pronto.
Eu achava tão estranho que quando saí de casa (eles que quiseram se mudar, eu não) a minha mãe chorava quando acabavam as férias e eu voltava para a minha casa bagunçada/minha cara/com tevê vermelha/paredes escritas.
A maternidade ensina.
Minha nena é a mais linda das criaturas vivas. Educadíssima, espirituosa, feliz, com olhos de jabuticaba que emocionam até estátuas.
Fazem sorrir o vô de bigode, que faz massagens relaxantes nos pés com o mais puro cabernet suvignon, e é o estudioso-único-aluno-suficientemente-paciente para fazer as provas e os trabalhos propostos pela doce figura tirana e afetiva. Cheia de ponderações, tiradas geniais, preferências e cabelos tão meus que são dela.
Nós sabemos reconhecer o bem que faz a ela viajar para o lado de lá da fronteira. Falar castelhano "simplemente porque la vida es así", ou porque "a ver, a ver".
Eu sei, entendo, e amo que pelo menos uma vez por ano ela possa estar na companhia daquela parte da família com quem ela é tão parecida.
Mas, como a maternidade é uma arte que se aprende, e eu aprendi das minhas mães, avós e bisavós... E eu entrei no quarto da minha Pucca, da minha Nanica, da Banana, Enana, Naná... e eu chorei, tudo por causa daquela maldita chuteira cor de laranja e os lápis de cor espalhados.
Porque senti falta dos porquês, das explicações sem fim, das teorias cabulosas sobre todas as coisas que existem. E sobre o Harry Potter, Fiuk, AC/DC, Ramones e Skate.
Sobre meu xampu de brilho gloss. E porque ela quis usar meu condicionador e agora ele tá rachado. Porque não precisa de grito, não precisa de palmada e nem de chinelo, se precisasse, talvez, mas nem isso. Porque eu tenho saudade, e mais da metade das coisas que eu faço não fazem o menor sentido sem ela.
Espero ansiosa que passem os próximos quinze dias.
 

miércoles, diciembre 22, 2010

Spinetta para Cerati!

Dios Guardián Cristalino de guitarras
 que ahora 
más tristes
 penden y esperan
 de tus manos la palabra
 Precipitándome a lo insondable
 tus caricias me despiertan a la vez
 en un mundo diferente al de recién... 
 Tu luz es muy fuerte
 es iridiscente y altamente psicodélica
 Te encuentro cuando el sol abre una hendija 
que genera notas sobre la pared sombreada
 Y suena tu música en la pantalla
 sos el ángel inquieto que sobrevuela
 la ciudad de la furia 
Comprendemos todo
 tu voz nos advierte la verdad 
Tu voz más linda que nunca

Luis Alberto Spinetta - Para G. Cerati 

¿si lloré? uffff

miércoles, noviembre 24, 2010

Pedaços, cacos e fragmentos

Somos seres fragmentados.

Metáforas de nossas existências.

Doentes, talvez mal amados.

Descrentes de nossa plenitude.

A gestalt não foi fechada.

Liguei e ninguém me atende.

A gravação não sente nada

Quem sente sabe e ainda assim não se surpreende.

Agora somos um conjunto de gavetas.

 
Tudo separado, rotulado e triste
 
Na insistência de negar que todo o resto existe.
 
 
Daqui, do silêncio barulhento da minha mesa, na repartição que também tem coração, suscitada por um colega lá do fim do corredor numa quarta feira chuvosa rezando pro dia acabar e nascer amanha, melhor, talvez igual. Mas ainda assim que ele se repita.
 
Corn Fields, 24.11.2010
 

martes, noviembre 23, 2010

Xiliques e tremeliques

Eu tenho calafrios, náuseas, medos e pavores. Eu tenho nojos, desgostos e sentimentos que quis guardar, mas não pude. Eu tenho crises, sonhos, aflições...
A moça de vestido de botijão é dotada daquela característica triste, porém risível: a canela grossa! A pesoa pode ter defeitos físicos de todo feitio, mas canela grossa é hilário.
A mesma moça largou o filho para o pai, como se fosse pacote, como se fosse uma trouxa de roupa lá na lavanderia. Largou e virou. E saiu. Não deu as horas, não deu bom dia, não contou da semana.
Reclama a presença daquele pai na vida do filho, mas o que oferece? Porque não ameniza esta dor? Não poderia o filho por acaso ter uma dor maior que a dela? Não, ela tem que ter toda a atenção para si. Oferece: Jogos, cartinhas, chicletes, distância e atenção controlada, medida e de pouco valor afetivo. Parecia que ela queria pra ela a atenção do pai. Egoísmo é muito triste e infantil.
A moça da canela grossa disse que se o filho reprovar a culpa será do pai. Prova que além de inescrupulosa é muito sem recursos. A culpa na verdade é dela. Por que? Ainda que responder o porquê não tenha cabimento, a resposta: A culpa é dela porque é a relação mais constante é a dela, porque mães ensinam a ler, mães dão colo e carinho, escutam, e riem. Mas a presença dela na vida desta criança é constante. É constante e dá pena da criança. Obviamente a moça de poucas luzes fala muito palavrão, pois é assim que o menino bonito de olhão grande se comporta. Logicamente a moça que quer ser inteligente só enxerga a si mesma e não oferece carinho para o menino de nome de índio, é visível pelas atitudes do menino que quer carinho e não consegue se expressar. Quando a moça que quer ser moderna pensar no seu filho como um ser a parte, um ser que tem necessidades, sonhos, desejos, escola e avião de papel. Quando ela se der conta de que ele aprende pelo exemplo, e ela, infelizmente é o pior exemplo de que ele pode ter conhecimento. Ela deverá ser humilde e dizer: "Não tenho condições de gerir a vida do meu próprio filho, por favor, faça-o por mim" E neste momento tudo vai se iluminar e ele vai morar aqui em casa. E eu vou seguir com meu tornozelo fininho, vou seguir sendo culta, inteligente, moderna, porque eu dedico meu tempo a aprender e reconhecer a necessidade das crianças e as minhas. Porque eu organizo o tempo delas e o meu de forma que seja bom estarmos juntos e que eles estejam aprendendo algo enquanto não posso estar com elas. Porque eu tenho útero de verdade. E esses hormônios ajudam a que a única mãe da história seja EU! Que sou meio travesti, que faço carão na 3x4, que rio, mas que sei fazer avião de papel como ninguém, e tenho um colo grande, um beijo grande, um peito grande. E dou colo pra sempre. Porque quando eu assumo um filho, quando eu assumo uma pesoa afetivamente isso é eterno. Criança não é brinquedo, criança é gente em tamanho pequeno, precisa ver gente em tamanho maior, que ama, e quer vê-la feliz, porque está de acordo com a criança que tem dentro de si. E tudo vira cantiga de roda.

martes, noviembre 16, 2010

“Mandar que ministros denunciados apurem denúncias em seus ministérios ou autarquias é como indicar o coelho para descobrir quem comeu a couve na horta”. (Villas-Bôas Corrêa, jornalista carioca)

miércoles, octubre 27, 2010

Delícia...

Ela estava naqueles dias, não menstruada, naqueles dias em que levantar de manhã é um saco.
Nunca é um saco, por isso se fazia estranho. Ele nem sempre tinha paciência para o "holding" diário, ela menos ainda.
Ele chegou às onze, e disse que precisava falar sério. Ele a pediu em casamento, ela disse "de novo?" ele respondeu que sim. Ela disse que hoje não porque estava com a unha lascada, e ele disse que tudo bem, que poderia ser mais tarde. Amanhã. Ela disse que se eles já tinham aliança, moravam juntos há um ano, o que poderiam querer mais que isso? Ele disse que tudo bem, eram casados, mas queria renovar esses votos e de novo e de novo até os cem anos, até a alma aguentar o peso do corpo. Eles dormiram abraçados. Felizes, as usual.

lunes, octubre 25, 2010

Charles Bukowski - The Genius Of The Crowd


there is enough treachery, hatred violence absurdity in the average
human being to supply any given army on any given day

and the best at murder are those who preach against it
and the best at hate are those who preach love
and the best at war finally are those who preach peace

those who preach god, need god
those who preach peace do not have peace
those who preach peace do not have love

beware the preachers
beware the knowers
beware those who are always reading books
beware those who either detest poverty
or are proud of it
beware those quick to praise
for they need praise in return
beware those who are quick to censor
they are afraid of what they do not know
beware those who seek constant crowds for
they are nothing alone
beware the average man the average woman
beware their love, their love is average
seeks average

but there is genius in their hatred
there is enough genius in their hatred to kill you
to kill anybody
not wanting solitude
not understanding solitude
they will attempt to destroy anything
that differs from their own
not being able to create art
they will not understand art
they will consider their failure as creators
only as a failure of the world
not being able to love fully
they will believe your love incomplete
and then they will hate you
and their hatred will be perfect

like a shining diamond
like a knife
like a mountain
like a tiger
like hemlock

their finest art

martes, octubre 19, 2010

eu nem sempre entendo.

Sempre fui acostumada à autonomia.

Fazia sozinha, gerenciava problemas e melhores atitudes.

Estudei em colégio de freira, sim. O das melhores patricinhas da capital do RS.

E morava naquele bairro que fica lá no alto, como também as patricinhas precisam morar.

Sim, eu fiz ballet, e jazz e teste pra propaganda das lojas Alfred, eu li o Petit Prince

e contava a história do Pinóquio em italiano. Sim eu usava sainha plissada com meia 3/4,

era o uniforme da minha escola.

Eu tinha uns "zóião", sim. E ainda tenho, mesmo...

Maquiava, penteava e sonhava em ter o cabelo da Cláudia Raia... Em 85, pensa...

Passou e eu estudei na faculdade dessas mesmas patricinhas, com a roupa que me convinha,

sandália com meia, jeans e havaianas, uma coisa low profile, tênis de plataforma numa atitude meio clubber. Me deprimia, e chorava escondida, deitada no chão da área de serviço.

Troquei muitas coisas, de namorados a cursos universitários o que eu mais troquei mesmo foi a cor e o comprimento do cabelo. E isso segue... Do zero pro cabelão do roxo pro preto, vermelho e rubio platino.

Com 16 anos eu estava lá naquela faculdade, morava sozinha, usava algumas drogas ilícitas

que hoje em dia até parecem lícitas e me davam fome. Depois tomava remedinho que matava essa fome.

Tomava meu prozac de cada dia porque tava depressiva, santa ignorância!

Tomava Frontal pra dormir porque a outra boleta me deixava ligada.

Não trabalhava, até que meu pai me disse:

"Dinheiro? Pra fazer a unha? Isso é colocar dinheiro fora, depois estraga e se foi meu dinheiro!"

Comecei a trabalhar assim...

Já tive catapora, sarampo e sapinho na garganta.

Bisexual, todo mundo é, mas nem todos se descobrem, mas eu gosto taaanto do oposto.

E se eu uso calça prateada, cabelo chapado, brinco de argola, ou se eu uso tênis e calça de cetim, isso é por conveniência. Porque eu sou parte do sistema. Porque eu militei na rua,

porque eu chorei quietinha e às vezes eu gritei de raiva.

E se eu tive uma filha linda foi porque eu decidi assim. Pra nós duas, pra todos e pra mim.

Não vim pra esse mundo passeando, eu vim a trabalho.

Claro que combino sempre trabalho e lazer, mas o primeiro me leva bem mais tempo.

Não me deslumbro por moedas e não sei "guardar para mañana". Mas gasto muito em shampoo e condicionador, tênis e badulaques, gosto de bolsas, bolsinhas, mochilas e lenços. Tiaras, óculos de sol e óculos de grau. Eu gosto de metáforas e crianças. E de livros novos e antigos.

De fuscas vermelhos pra colar bolinhas pretas e fazer de conta que é uma joaninha.

E de desenhar, pintar e escrever. Putaria pra fazer escrever e ler. Não tomo mais remédio, nem floral, nem homeopáticos, nem aspirina. Gosto de álcool sexual, café holográfico e mate subliminar.

Gosto de jogos de palavras e palavras jogadas. Gosto do mesmo e sempre desse. Mas gosto de outros que moram nele também.

Não respeito gente sem personalidade, menos ainda quem assume coisas que não é e não tem.

Eu gosto de gente - "voy de los castillos a los callejones" mas gente que assume, se é na vila é na vila e "tamo junto no corre, truta" se é no bairro nobre, da igual... mas fingindo não, fingindo não dá pé!


lunes, octubre 18, 2010

Assim eu queria ser.

 
Eu queria ser um cactus. Assim, glorioso.
Os cactus nascem nos terrenos mais difíceis, se mantém com pouco.
Sabem se proteger, e ainda dão flores radiantes, das cores mais incríveis.
São a força aliada a delicadeza, os espinhos e a beleza.
Quero mais o que?

viernes, octubre 15, 2010

E-mail

Meu amor hj é o dia do professor até ai tudo bem, mas no meu caso sou muito feliz em 100000 milvezs por ter a mais bela, a mais inteligente, o meu tudo, minha vida te amo por ser essa mulher com fibra e garra e buscando sempre o melhor em tudo q tu faz sou teu eterno fã meu amor tu me ensina todos os dias a ser uma pessoas melhor muito OBRIGADO!



Te desejo hj o que quero sempre pra ti meu amor tudo de bom e parabéns pelo teu dia minha vida te amo!!!!!

E olha que foi meu aluno só um pouco!

jueves, octubre 07, 2010

yummy yummy nham nham nham





Em nenhum outro lugar do mundo se come cuca.
Tem coisas que são semelhantes, mas nada é como a boa e velha cuca.
A cuca é uma espécie de pão doce, (mais doce que o pão doce ) coberta com uma farofa que normalmente era feita com o resto da massa que fica na tigela do preparo, mais algum tipo de gordura (manteiga, banha) e açúcar. Ela pode ser simples, só com a farofa, ou com recheios diversos de frutas e doces como chocolate e doce de leite... De banana é um escândalo, goiabada, requeijão, chocolate, coco, frutas em calda...
Dá pra gostar, mas não pra comer, ou não muito...
Aqui se come cuca sempre, "pras alemoas" como eu, ela acompanha churrasco de carne muuuito mal passada, serve pra fazer sanduíche e torrada, e, na verdade ela substitui o pão. É por esse motivo que o melhor é não ter em casa, comprar uma, pequena e comer, senão... BALÃO

miércoles, octubre 06, 2010

martes, octubre 05, 2010

Curriculum

Ao conhecer um homem, meninas, não esqueçam de pedir o curriculum dele.
Pra saber onde ele trabalha? Pra saber pretensão salarial? Não, gurias, pra não queimar filme.
Afinal de contas, o cara não pode querer alcançar a presidência tendo sido apenas estafeta, né?
Como nós vamos permitir ter o filme queimado dessa forma?
Do mesmo jeito que se a pessoa vem de uma fabriqueta de fundo de quintal, como é que vai ser vista ao assumir cargo em multinacional? (Nesse caso a multinacional sou eu!) Não pelo funcionário em si, mas por esta multinacional que vos fala.
O negócio é pedir fotos das exes (pra queimar depois) Olha pra foto e pensa: "Caguei no maiô rosa". Se o cara só tinha capacidade praquilo ali, como é que agora já galgou os degraus da fama e tá aqui, na minha cama?
Aí, gurias, nessa hora a gente passa por mulher comum, presa fácil... Imagina eu que tenho pontuação vitalícia garantida por aposentadoria precoce no meio artístico, nacional e internacional...
Eu que leio, que não tenho nota abaixo de 9 (nove) na minha carreira, que falo três idiomas com fluência, escrevo, conheço cinema, fotografia, artes em geral, imagens, decoração, fashion world...
Chato isso viu? É melhor perder o funcionário pra uma empresa ruim do que admitir um vindo de empresa estranha.
Não é salário, é carreira.
Ah, aí tem outra... SE é só pra prestação de serviço, aí muda, se o serviço é bom, não interessa de onde vem...


Prato do dia - Fito Páez - Música para Camaleones

No se que es peor
Que me den consejos
O me den razones

Entonces
No hables por mi
Yo solo hago música
Para camaleones
Dime por fin
Algo inteligente
Algo con cojones

El mundo es real
Lleno de miserias,
Lleno de ilusiones

No hay una verdad
Voy de los castillos
A los callejones

Si algo aprendi
Es que no me creo
Ni mis emociones.

Y es tan fuerte la anestesia
En el mundo, corazón
Que yo no voy a ser
Quien atrase las agujas del reloj

Yo voy a desafinar
Es mi bien desafinar
Pero es que me ofende tanta
Tanta vulgaridad


"cuando dios te da un don, tambien te da un latigo, y ese latigo es solo para autoflagelarse"

viernes, septiembre 24, 2010

...

Não há maior ultraje do que ser cobrado...
Por coisas que não são passíveis de mudança
Por coisas que já não significam nada
Ser cobrado por quem de cuecas prega  moral.
Ser cobrado quando o que se apresenta é conduta séria, elibada.
Quando o único que se apresenta é a verdade pelo bem da verdade.
Doendo ou sangrando.
Ser cobrado por quem mesquinhamente ainda tem muito a responder.
Ser cobrado em momento indevido, em  momento de descanso.
Evasivas serão as ações e as respostas.
Silêncios, ocultações, abismos
Estava estudando, lendo, ouvindo música
Telefone no silencioso.
Assim é que se comportam os que são cobrados com tom acusativo
Os que são feridos,
Este se encolhem... Esquivam, ocultam...
Não é certo, mas pelo menos evitam os transtornos.

miércoles, septiembre 08, 2010

Complemento do texto anterior...

Veio bem a calhar:

"Quem luta com monstros deve velar por que, ao fazê-lo, não se transforme também em monstro. E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti.".


Friedrich Nietzsche


jueves, septiembre 02, 2010

Aprende-se a conviver.

De a poco y bien despacio...
Y ya sabés como es... Estar con alguien no significa que asi de un momento a otro viven juntos y "yastá!" es una maravilla. No, no es verdad. A veces se sufre un rato largo, porque sí. No nacimos juntos, no crecimos juntos, no somos hermanos. Y aún con nuestros hermanos la cosa no va asi como uno quiere y piensa.
Aunque lo hagas por amor, no siempre es la forma exacta para hacerlo. No sos virgen, y el otro tampoco, y en eso ya nace un problema. Tenés recuerdos, tenés fotos, regalos, cosas que por ahí son algo de basura, algo de cosas que guardás sólo por olvidarte de desecharlo, y lo vas a pagar si no lo hacés. Son cuentas de teléfono... Grandotas, llenas de llamadas internacionales. Porque yo he gastado un negro con pito y todo con cuentas de teléfono. Son fotos que tiraste al inodoro (¿acaso tiré alguna foto al inodoro? si, papi, si) Son las remeras rotas, las tangas horribles que se te regaló aquél despreciable con quien tuviste un horrible noviazgo por largos dos años y que te hicieron quedar vieja y fea. Todos tenemos recuerdos, todos. Nacemos y ahí están luciendo:  recuerdos. Unos nos dejan con vergüenza, puesto que salen así nomás de los cajones que los guardamos hace algunos años. Y miramos a estos recuerdos, feos, pesados, grasos, asquerosos. Tu compañero te mira y te dice: "¿Era tu novio ese trapo de piso???" Y con esa cara desgraciada de que se te descubrieron una cagada decís: "Sí, mi amor, sí" Para enseguida escuchar: "No te da vergüenza, enserio??" Y contestás con toda la sinceridad que tenés "Y, ¿cómo no?". Porque uno sabe donde está y con quien. Yo particularmente tuve que aprender a convivir con eso de los fantasmas, y aun siendo espírita me daban algo de miedo. Exes locas, con nada de amor propio, nada de nada, intentando matarte por pavadas, por niñez, por estupidez... Después del golpe, de la rabia, se me vino algo de compasión, de remordimiento, qué se yo.. Intentar lastimarme es normal, puesto que seguramente me mostraba que me quería ante todo. Y me lastimó, si, demasiado... Entonces he usado esa lástima para fortalecerme y pude vivir, adelagazar, insinuarme para otros hombres, y descubrir que me importaban un carajo. Y listo. Pasó. Fantasmas son fantasmas y el exorcismo nos hizo muy bien.
Uno a veces apreta el tubo de la crema dental por el medio, mientras a ti te parecería que el correcto fuese apretarlo por la punta, ¿no? Pero el otro no hizo para molestarte, lo hizo porque es así que lo hace... Simple. No estás acostumbrada a arreglar  la casa, porque siempre tuviste mucama, porque cocinás por deporte, y solías dejar las bombachas tiradas al piso... Y ahora, si las tirás, las tendrás que sacar... Hay que arreglar, hay que colaborar, y vos sos un pozo de pereza, y eso te molesta, porque no sabés hacer eso de ama de casa, de mami, y ok, tranqui, ya lo aprenderás.
Incluso las hermosas lo saben hacer. Lo sé por mi...

martes, agosto 24, 2010

Espere o momento

Antes de fazer amor, sente-se em silêncio junto a seu parceiro durante 15 minutos, segurando as mãos um do outro: sua mão esquerda segurando a mão esquerda de seu parceiro e a direita segurando a direita.

Sentem-se no escuro ou na penumbra e entrem em harmonia. A melhor forma de fazer isso é respirar como se fossem um único organismo — não dois corpos, apenas um. Dentro de dois a três minutos vocês estarão no mesmo ritmo.

Olhem nos olhos um do outro com suavidade e apreciem o momento. Toquem um no outro. Não comecem a fazer amor, a menos que o desejo surja espontaneamente. Espere por esse momento. Ele virá um dia e o amor será profundo e silencioso como o oceano. Mas espere esse momento, não o force. Se ele não vier, vão dormir, não há necessidade de fazer amor.

Fazer amor é como meditar. É algo que deve ser desejado e apreciado muito lentamente, de forma que seu ser esteja profundamente fundido nesse ato e o transforme em uma experiência tão transbordante que você não esteja mais presente. Você não está fazendo amor, você é amor.

O amor transforma-se em uma energia muito maior em torno de vocês. Ele transcende ambos; vocês dois estão perdidos nele. Mas será preciso esperar até que esse momento chegue. Deixe a energia se acumular e fluir em seu próprio ritmo. Aos poucos vocês começarão a ver os primeiros sinais, o prelúdio, e já não haverá dificuldade alguma.

Osho, em "Uma Farmácia Para a Alma"

viernes, agosto 13, 2010

Vamos dançar

Eu não nasci pra trabalho
Eu não nasci pra sofrer
Eu percebi que a vida
É muito mais que vencer
Já dirigi automóveis
Já consumi capital
Já decidi que o dinheiro
Não vai pagar, não vai pagar a minha paz
Vamos dançar lá na rua
Vamos dançar pra valer
Vamos dançar enquanto é tempo
Nos aplicar a viver


miércoles, agosto 11, 2010

Que los cumplas feliiiiiz!!


"La tinta no secó y en palabras dije muchas cosas, pero en mi corazón todavía queda tanto por decir, que no me voy, me quedo aquí"
Quedáte maestro, te espero... lo que sea necesario, volvé, sea cómo sea, volvé. 
Si pudiera al menos oír las voces de latinoamerica que te llaman rezan por vos, que te esperan aquí...

jueves, agosto 05, 2010

A long time ago...

Esse teu jeito de falar macio
Misterioso, sedutor...
Me faz tremer, banhar-me em suor...

Aos meus olhos pareces uma fera no cio
Tua impetuosidade, não consigo explicar
Abraços e beijos, desejas mas não imploras
Se não acontecem, colocas as garras de fora

Como uma fera, me devoras com o olhar
Mais te assemelhas a um animal predador
Forte, atraente, dominador...

Com esses olhos que brilham como chama!
Gosto dessa tua braveza
Nela vejo simplicidade e pureza
Próprios de uma fera que não se doma, se ama
!

martes, agosto 03, 2010

Es tarde ya...

Esta mañana estuve con vos,
no es que no quisiera
es que ya no somos los mismos de ayer
Nos fuimos a vivir nuestras vidas,
salimos de aquél amor desamor.
En hechizo se acabó,
el encanto se fue con el mar.
Las pastillas nos rompieron la calma.
Mientras nos golpeamos con ese amargo dolor del odio.
Mientras nos cortamos la carne con ese ágrio rencor...
Te fuiste con los tuyos, que tampoco tuyos son.
Yo me quedé en aquel verano.
Bajo el agua, en el mar.
En el banco de un parque te dije que no
Ya no más, nunca más, jamás.
Me fui porque siempre me voy
Con ese corazón roto de siempre,
Con esa lástima de haberte conocido.
Con esa mufa que no se corta así nomás.


domingo, agosto 01, 2010

02 de agosto!!!

Este 2 de agosto la Argentina celebrará por primera vez en su historia el Día del Hijo de Puta.
Se fijó esa fecha porque ese día, pero en 1925, nació el ex teniente general y dictador Jorge Rafael Videla. Este 2 de agosto, Jorge Rafael Videla cumplirá 85 años, lo celebrará en una prisión en Córdoba y usted también puede sumarse a la fiesta del ex dictador, asesino, secuestrador, apropiador de niños y torturador.


Que este 2 de agosto, ningún hijo de puta se quede sin saludo.
 
Por eso, a vos que venís a visitarme, sin dejar ni siquiera un saludito, cliqueado locamente, chusmeando las cosas, como si fueras a encontrar algo que pueda arreglarte la vida...
Feliz Día!!!!

miércoles, julio 21, 2010

...

A sensação de ter um espírito velho, já vivido. Nada de novidades, nada que já não tenha sido visto. Um espírito que ficou muito tempo do outro lado até a hora de chegar aqui, lendo, estudando, pensando. O pensamento se transforma, reforma, conforma, deforma, mas é um livre pensar, muitas vezes romântico, mas acima de tudo prático.

Em muitos momentos o espírito antigo faz ficar mais cético, mais cruel, e em outras vezes com mais facilidade para se incomodar, psicotizar, surtar e sofrer. Mas o espírito velho é infantil também, porque tem as manhas e manias da infância que passou, mas não desapega.

Da mesma forma que se torna fácil sofrer, é muito dolorido, mas é uma sensação que dá e passa.

Existe sempre a crença desconfiada, a fé absurda em que tudo permanecer como está. E não vai.

A dinâmica do mundo então faz entender que tudo está baseado em escolhas, profissão, dinheiro, saudade, saúde, amor, casamento, filhos. Até aquilo que vem pronto foi previamente escolhido por alguma razão, por alguma energia ou nada disso.

Enfim... C'est la vie.

martes, julio 13, 2010

As músicas que embalam as vidas.

Qual é a trilha que te define?

Sua vida burguesa é um romance
Um roteiro de intrigas
Pra Fellini filmar (Fellini, peitos grandes... yeah - grifo meu)
Cercada de drogas, de amigos inúteis
Ninguém pensaria que ela quer namorar
Reconheço que ela me deixa inseguro (BEM FEITO)
Sou louco por ela e não sei o que falar
O que eu quero é que ela quebre a minha rotina
Que fique comigo e deseje me amar.(tá)

Lobão em Rádio Blá
_________________________________

Você é tão acostumada
A sempre ter razão (é que eu tenho)
Você é tão articulada
Quando fala não pede atenção (são anos de estudo, nene)


O poder de dominar é tentador (desculpa, é inato)
Eu já não sinto nada
Sou todo torpor

É tão certo quanto calor do fogo
É tão certo quanto calor do fogo
Eu já não tenho escolha
E participo do seu jogo, participo (não tem escolha, oras...)


Não consigo dizer se é bom ou mal
Assim como o ar me parece vital
Onde quer que eu vá o que quer que eu faça
Sem você não tem graça ( e não vai ter mesmo)

Você sempre surpreende (las chicas modernas, sabés como es, no?)
E eu tento entender
Você nunca se arrepende
(claro que não, sempre penso antes, cheee)

Você gosta e sente até prazer


Mas se você me perguntar
Eu digo sim, eu continuo
Porque a chuva não cai
Só sobre mim


Vejo os outros,
Todos estão tentando
e é tão certo quanto calor do fogo
Eu já não tenho escolha
E participo do seu jogo, participo


Não consigo dizer se é bom ou mal
Assim como o ar me parece vital
Onde quer que eu vá e o que quer que eu faça
Sem você não tem graça

Capital Inicial - Fogo
___________________________________

Ella está por embarcar,
Quizás consiga un pasaje en la borda.
Ella está por despegar
Ella se va.
Ella viaja sin pagar (porque ella tiene los contacto okay?)
El viejo truco de andar por la sombra.
Ella baila sobre el mar (porque sí, lo puede!)
Ella se va.
Pasajera en trance
Pasajera en tránsito perpetuo
Pasajera en trance
Transitando los lugares ciertos.
Un amor real, es cómo dormir y estar despierto

Un amor real es como vivir en aeropuerto.


Pasajera en trance - Por Charly García - SAY NO MORE!
_________________________________

Divina obscenidad,
dar el maximo de piel (che, que sexual, no?)
sin librarte de mi.
Amo dejarte asi
Palabras profanas
de tu boca pura, (toda pura, demasiado pura)
toda mi dulzura
pendula sobre ti.


Amo dejarte asi,
amo quedarme asi.
Amo dejarte asi,
amo quedarme asi.



Amo dejarte así - por Gus Cerati
_____________________________

Sólo pienso en ti, sólo pienso en ti

es la hora de amar
es la hora de brillar
yo sólo pienso en ti
sólo pienso en ti, sólo pienso en ti
y algo me arrasó
algo me mató de vos
yo sólo pienso en ti


yo no sé si es tu signo (puede ser...)
o la forma en que me mentís
pero vos sos más sensual que la chica de ipanema
de vinicius y jobim (ah, sí?)
sólo pienso en ti, sólo pienso en ti
algo se pasó,
algo terminó,
yo sólo pienso en ti


yo sólo pienso en ti, sólo pienso en ti
pero en realidad, nena,
yo sé que en verdad sólo pienso en mi
insoportable, insoportable
insoportable, insoportable

Insoportable - por Fito Páez
_______________________________

Y... en fin,

tengo todo lo que perdí,
fumo Parisiennes,
toco con Chopin,
cultivo mi jardín,
me pone triste el mar,
y, cuando tardas en venir,
mi cama es una cama de hospital.(oh, pobre...)
Y, además,
(muñeca: dale ma!)
tengo una muñeca que regala besos.
(muñeca: yo soy la mas linda!)(la muñeca soy yo.. jajajaja)


La muñeca que regala besos - Por Fito Páez
___________________________________

Por eso siempre vas a estar en mi alma

Libre, abierta y plena de luz (si, si)
Es que el tiempo llega y se pasa
Y no quiero convertirme en tu cruz (no, no)


Es tan profundo el río y arraza,
Se lleva todo, todo y chau, chau se acabo
Por eso vas a estar en mi alma
Dentro de mi corazón (así no hay río que me lleve, verdad?)




No llegué al contestador
Hay que fumarse la locura
Que otra piel te abrazará (ninguna)
Y que otra mágica hermosura.

mágica hermosura.- Por Rodolfo Páez, el Fito...
_________________________________

Sos la chica más loca del barrio
Y se te hace muy duro amar

Entre todas sos muy especial

me gusta tu desprecio
no te vayas a equivocar
yo ya se que no ténes dueño.

En el baño de un Hotel - Fito Páez

jueves, julio 08, 2010

Simplemente Confiá - Por Fito Páez

Es posible que ya no te fijes en los cuentos que te cuenta el mundo, no hace mas que respirar.
es posible que tus ojos ya no emitan esa luz que encegecia hace algún tiempo atrás
ya se fueron todos de la casa y la mañana envuelve todo todo en un profundo azul
la verdad se enciende sola, es una flor en el silencio que quema de luz la habitación

yo quisiera hablar pero lo que doy es un nombre viendo el norte solo y loco hacia el sur
tengo que confiar, saber esperar, tengo que respirar, es un panic attack y sacarme de una vez esta cruz.

La vida son los círculos, los círculos dan vuelta y los círculos se van.
Cuando yo creí que estaba todo bien, en realidad estaba haciendo todo exactamente mal.
No es tan grave en verdad, las cosas van moviéndose y se mueven a la larga porque sí.
y si hoy ese perfume es el de la soledad, si no confiás no vas a ser feliz.
Y me haces hablar.

A veces es mejor quedarse quieto con el trago en la mano en un rincón.
Ya nos veremos en algún lugar, en alguna fiesta, en cualquier ciudad, cuando me hables con el corazón.
Es tu vida, no se puede tocar, es una caja preciosa no se puede tocar, tendrías que saber quien soy.

Oh, confiá nena confiá, soy todo lo que quieras, también tu suplicio y tu luz.
A vos te gusta la mañana, a mí la luna re borracha, bancatela, va a ser siempre así
No te vendría mal saber que yo no quiero hacerte daño y ya dejar de sufrir.
Y si me buscás.

Vos sos tan incierta, yo también y nadie sabe nada y quién a quién vino a buscar.
Oh, tell my heart, decimelo, contamelo, probame que lo hiciste mal, es una posibilidad oh.
Y todo lo que no contás es todo lo que alguna vez con toda mi alma voy a confiar.

Lo que pasó fue para bien, no lo trates de entender, sabes que no hay vuelta, atrás tuvimos la oportunidad.
Y si algo aprendimos en el mundo es que el mejor momento aún no vino, está por llegar.
Confiá.

miércoles, julio 07, 2010

Há 20 anos

Faz 20 anos que o poeta saiu de cena:

Você nem arrumou a cama

Parece que fugiu de casa


Mas ficou tudo fora de lugar
Café sem açúcar, dança sem par
Você podia ao menos me contar
Umahistória romântica

E agora? Quem vai cantar pra nós essa rebeldia, de menino do rio, ariano incompreendido, mimado como nós somos. Essa coisa de ser o centro, de ser o mundo, de "egoísta é quem não pensa em mim" é esse dar de si o que se tem, e o que se quer ter também, é essa mania humana de ser carente profissional, esse deboche, esse escracho, down em mim... e aparece esse eclipse oculto... Esse blues da piedade, pra quem já nasceu com cara de abortado, esse protesto, esse amor, essa dor e esse ódio do mundo, que assiste a tudo de cima do muro...
Não, ninguém vai te substituir...
Que Deus o tenha no céu dos arianos (que deve ser infernal de tão bom...) incompreendidos e rebeldes.



Blues da Piedade

Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já nascem com cara de abortadas


Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm

Pra quem vê a luz
Mas não ilumina suas minicertezas
Vive contando dinheiro
E não muda quando é lua cheia


Pra quem não sabe amar
Fica esperando
Alguém que caiba no seu sonho
Como varizes que vão aumentando
Como insetos em volta da lâmpada




Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem


Quero cantar só para as pessoas fracas
Que tão no mundo e perderam a viagem
Quero cantar o blues
Com o pastor e o bumbo na praça


Vamos pedir piedade
Pois há um incêndio sob a chuva rala
Somos iguais em desgraça
Vamos cantar o blues da piedade


Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade


Lhes dê grandeza e um pouco de coragem



Salve Caju!!!!!

martes, junio 29, 2010

Nem um centavo furado

Tem gente que vale muito.
Tem gente que vale nada.
Tem quem valha uns vinténs.
Gente que machuca a raiz.
Tem gente que faz doer a alma.
Acorda o diabinho encarcerado.
Lá das profundezas ele acorda
Vem correndo, todo feliz
Desesperado por combate, diversão e cigarro:
"Vem aqui, e na tua cara eu escarro!"
Tem gente que mexe com coisa boba
Outros mexem com coisa séria.
Trata sentimento com pouco caso.
Não sabe do que se trata?
Sabe sim, és feito do mesmo barro.
Tem gente que bate na gente.
Tem o dia que a gente se revolta
Se revolta e bate também.
Mas não assim de mansinho
Como quem quer bem.
A gente bate em gente que não vale nem um vintém.
E aí, não tem lei que condena
Não tem respeito e não tem doçura.
Tem rancor pavor e pânico
Encharcados de loucura.
Apanha o que vale muito,
Apanha o que nada tem.
Merece muito apanhar
Quem não vale nem UM vintém.

jueves, junio 24, 2010

En el baño de un hotel - Fito Páez

Me mordiste la mano con rabia
en el baño de un hotel
vomitabas el odio del mundo
esa noche me enamoré.

Esa cruz que llevás
en la espalda
te la voy a quemar
sos la chica más loca del barrio
y se te hace muy duro amar.

Lo volviste a hacer otra vez

 lo que te hace bien, te hace mal 
parecés una "flaca de exactas"
explicando
lo que no hay que explicar.

Entre todas sos muy especial
me gusta tu desprecio
no te vayas a equivocar
yo ya se que no tienes dueño.

Vos sabés que te puedo lastimar
vos sabés lo que mas me tienta
Verte desnuda, abierta
sobre mi cama

 gritando y pidiendo más 
y que me rompas la remera
de mi otra novia
de un tiempo atrás.

Estoy siempre con vos
aunque no esté con vos
my Love.
Los muchachos
se quedan helados
cuando la ven pasar
las muchachas la quieren matar
y comerle la boca.

Cuando te veo
tan triste y tan sola
rebotando por la ciudad
con tu pollera
y la mirada perdida
sin que nadie te pueda amar.

Yo clavé mis ojos
en vos
y te voy a llevar al sol
no te vayas a equivocar
yo te voy atrapar mi amor


Fito es un grande! Si yo tuviera 16 años estaría segura de que compuso esta canción para mi.
Porque yo solía ser su "muchachita punk".

domingo, junio 20, 2010

Silueta Porteña

Milonga 1946

Música: Nicolás Luis Cuccaro / Juan Ventura Cuccaro


Letra: Ernesto Nolli / Orlando D'Aniello

Cuando tú pasas caminando por las tardes,
repiqueteando tu taquito en la vereda,
marcas compases de cadencias melodiosas
de una milonga juguetona y callejera.
Y en tus vaivenes pareciera la bailaras,
así te miren y te miren los que quieran,
porque tú llevas en tu cuerpo la arrogancia
y el majestuoso ondular de las porteñas.


Tardecita criolla, de límpido cielo
bordado de nubes, llevas en tu pelo.
Vinchita argentina que es todo tu orgullo...
¡Y cuánto sol tienen esos ojos tuyos!
Y los piropos que te dicen los muchachos,
como florcitas que a tu paso te ofrecieran
que las recoges y que enriedas en tu pelo,
junto a la vincha con que adornas tu cabeza.


Dice tu cuerpo tu arrogancia y tu cadencia
y tus taquitos provocando en la vereda:
Soy el espíritu criollo hecho silueta
y te coronan la más guapa y más porteña.


viernes, junio 18, 2010

Lost in translation.

Amei!
New York por baixo e Tóquio por cima, ambos da Risqué.
Qual é o filme???










Fica um loosho beesha.
Um é cintilante e o outro não e juntos eles ficam ótimos

lunes, junio 14, 2010

BookCrossing

BookCrossing foi a boa do final de semana. Sem registros, sem apegos.
Lucía se chocava ao ver os livros da bruxinha na estante da casa da sogra.
Arrepios de nojo. Asco. (Achava que sairia sebo dos livros, gordura e flacidez, quem sabe eles guardavam uma maldição?) Ele sugeriu fazer uma fogueira. Mas Lucía não gostava da ideia de queimar a Ilíada, livros didáticos, Dickens, e outros clássicos.
Juntou tudo, levou-os a uma praça na frente de uma escola. Eles ficaram lá, imóveis, parados
sobre as mesas com tabuleiros de damas.
No parque grande, aquele em que tanto passearam naquelas quentes manhãs de verão, Lucía, com a ajuda do marido, espalhou os livros sobre os bancos, onde os punks cantavam músicas que eles não sabiam cantar.
Fez questão de deixar os nomes nas folhas de rosto.
Como não estavam nunca na casa da sogra, os pertences da ex, aquela gorducha (e os livros eram o melhor que pudera oferecer) ficaram adormecidos na estante. Mas Lucía não passa por uma estante de livros sem tocá-los, e isso dava nojo. Melhor a estante mais limpa. E assim ficou.

miércoles, junio 09, 2010

amor e reciprocidade

me preocupo com o que eu sei e não sabes
com tua instantânea solidão e falta de amor
me magoa que eu não te queira e tu me queres
insulta tua falta de saber não saber
tua presença infla o ego
eu sei que vens e sentes, e olhas ultrajada.
por que me buscas assim, anonimamente?
aquilo que tiveste, passou e já se vai
aquilo que é meu, tenho e aqui está
fazes parte de algo que doeu e nem ao menos dói mais.
tudo passa como brisa de outono
como a fúria de uma chinchila
toda a destruição é pouca
me toca saber que antes eu era rival
agora estou no pedestal
e me idolatras, me segues, persegues...
sim, tu lês, buscas e esquadrinhas...
desejando quem sabe ver fotos, rostos
ouvir vozes, sentir o cheiro.
perguntar houvesse sido normal.
sabes de mim o que precisas saber
nem mais, nem ontem.
sabes de mim o hoje,
tu sabes de mim, suor.
pensas espertezas sinceridades e destrezas
ousas e já não tens controle do impulso curioso
curioso e infantil
teu amor por mim,
o reflexo de amar quem é amado por aquele que já não nos ama
amar o objeto de amor, maior do que fomos
daquele a quem amamos (no passado ou presente)
sorver com admiração alguma seiva, algum deslize
algum escape que mostre
onde vão as pessoas que caminham depressa?

Medium - Gustavo Cerati

Pude desaparecer
pude decir que no
pero el fin de la pasión
es que lo oculto se vea
vine a avisarte

Chica con ojos de ayer
sé que vibrás también
la extraña sensación
de no pertenecer a este mundo
como en un trance

Ya tantas veces morí
nunca me pude ir
el arte de vivir
por encima del abismo
estoy condenado a errar
(de amor en amor…)

poseídos por el más allá
poseídos por el más allá


Te cuento algo íntimo. Por que sé que no venís para simplemente leerme y no "desmenuzarme".
"Tómate el tiempo en desmenuzarme... Come de mi carne"
Desde que sufrió un accidente vascular cerebral o un infarto cerebral, o lo que sea, es como si yo esperara por notícias de alguien de mi familia. Gustavo Cerati a quien cariñosamente llamamos "Gus" está lleno de esa genialidad, de esa mediunidad, sensibilidad, y he creado tanta admiración, y siento esa identificación proyectiva tan fuerte que es como si fueramos novios, amigos, hermanos, enemigos.. no sé, pero íntimos.
De muchos momentos, de amores, desamores, rabias, ganas... Los días en que lloraba acostada al frío piso del departamento, o mientras me emborrachaba en el bar, fumando un faso, un Marlboro (rojo entonces..) Los días en que no quería comer, los días en que me daban ganas de comer hasta una puerta. Cerati estuvo conmigo. La música es así. A veces digo: "Es tan lindo que me dan ganas de morir." No, no soy suicida. No me gustan esas boludeces, pero encontraba en las cosas que escribe y canta cosas que yo quisiera haber escrito y cantado. Entonces, unilateralmente nace un compañero, cálido, tierno, suave, rencoroso, amargo... Es un amigo que no te pregunta, que no te pide nada... Te ofrece fuerza, te ofrece amor, agarra a todo eso y viene compartirlo... Y te alimenta con todo eso. Se convierte en alguien de tu familia, y ya está, tiene un patatuz y yo me quedo comiendo las puntas de los dedos, arrancandome el pelo, lloriquendo por los cantos. Quiero que esté bien. Solo eso. Hay algunos para los cuales la comida es necesaria, y sí, lo es, hay otros para los que es necesario el aire, y eso también lo sé, pero, para mí, la música es igualmente necesaria. Aún más en esa "ciudad de la furia", cuidando a mi "chica lunar", o pensando:
"Qué otra cosa puedo hacer? Si no olvido moriré, y otro crimen quedará, sin resolver"
#fuerzagus

Não me venha com chinelagem.

Bacharelado e licenciatura - É pertinente saber.
Há os que saibam e os que não saibam, e há os que fazem de conta e pensam que são intelectuais.
O Bacharelado é um curso de graduação (que pode ser inclusive mais curto que uma licenciatura) que serve para formar pesquisadores. Faz-se necessário informar que tais pesquisadores, ao final do curso NÃO SÃO LICENCIADOS, NÃO SÃO DOCENTES, é dizer que não podem ministrar aulas (impartir clase, viste?).
Um bacharel, por exemplo, formado em Letras é um "tradutor intérprete", e só. Um licenciado em Letras, dependendo da habilitação é um professor ou de LEM (língua estrangeira moderna) ou de português, ou de ambas, e conforme o caso de "ambas literaturas". Pode dar aulas.
A informação é pertinente e nos auxilia para um entendimento simples, e suscita questionamentos básicos:
Se a pessoa fez a graduação como Bacharel, por que motivo passa a dar aulas?
Pode ter conhecimentos da língua e da literatura mas descarta assim, sem mais, os conhecimentos que deve ter na questão de ensino, as disciplinas de didática, organização de ensino, teorias de aprendizagem, o que com certeza otimizaria seu trabalho como professor.
"Pasa lo mismo" quando um nativo, semi nativo, ou alguém que experiencia a situação de passar alguns dias em países com idioma diferente do seu, resolve, ao voltar a seu país de origem e resolver dar aulas de L2 (língua meta, não a materna). Por que uma menina que ficou quinze dias na Disney, e fez Yazigi até o final, resolv fazer vestibular para nutrição pode ministrar aulas de Inglês, por exemplo. Pode ter conhecimentos da língua idioma, e inclusive saber algo de gramática, o que pode ser perfeitamente apoiado pelo material didático oferecido pela escola. Mas não poderia e nem deveria ocupar a posição de professor.
Também penso que um professor de um curso de Idiomas (por muitos anos dei aulas assim) é apenas um instrutor. Mas como dono de um desses cursos eu exigiria professores em vias de qualificação.
Não é concebível estudar administração e dar aulas de francês porque viveu em Montrèal. Se o indivíduo tem como meta ministrar aulas de uma L2, deve no mínimo saber que sua formação é Letras (Licenciatura e não Bacharelado). Há, então, outra questão que gera controvérsias, diminuindo a Licenciatura, como se os professores estivessem distantes do intelectuais. Não, senhores, não estão. A formação é uma atividade interna, íntima, pessoal, e carrega consigo questões como auto atualização (Maslow, pesquise), segurança, vontade, amor próprio, entre tantas outras coisas que são tão necessárias a quem segue uma vida acadêmica mais longa.
Não é característico do Licenciado enveredar-se pelos caminhos da pesquisa científica, menos ainda no campo ainda tão pouco reconhecido como o das pesquisas em idiomas, sabemos todos. Não há, todavía (castellano, si, ¿por que no?) grandes interesses em variantes linguísticas, identificação de representações sociais que influenciem as diferenças idiomáticas, traços que fortalecem o preconceito linguístico (leia o Bagno, please) entre tantas outras coisas que podem ser abordadas tanto em Língua Portuguesa, como na Língua meta. O mesmo ocorre em Literatura, tanto estrangeira, como Luso brasileira, são poucos os bacharéis dispostos (ou que não estejam ocupados dando aquelas aulas que não são de sua jurisdição) a fazerem pesquisas na área como sua habilitação determina e permite.
É senhores, formar-se como professor nem todo mundo quer, mas fazer um bico, um freela, um trabalho informal, muita gente aceita, muita gente quer e muita gente faz.
Qual a solução? Não sei, não sei, a dúvida foi semeada. Posicionamento é fato, e também é mato. Todo mundo opina, mas nem todos tem base para defenderem suas posições. Eu resolvo, por exemplo, contratando para minha escola apenas professores graduados nas licenciaturas, ou em vias de graduação. Exigindo, para meus filhos professores nas mesmas condições. Valorizando definitivamente os que tem formação específica para determinada área. Não adianta ser polivalente, saber se expressar em outro idioma, e estudar em outra área. É só se conhecer e fazer o que quer fazer, bem feito e de forma decente. Forme-se e seja feliz. Mas atue, na sua área sem prejudicar. Atue para o que sua formação permite e favorece. Permita que o outro, que teve esforço em graduar-se siga seu caminho e faça seu trabalho. Espaço há. Competência há. O que tem que ser mais usado é discernimento para que cada um ocupe o espaço que lhe é devido. E ocupar apenas o espaço que se tem. E... NÃO ME VENHA COM CHINELAGEM!
 
 

viernes, junio 04, 2010

Arcano 8 - A Coragem.

"A semente não pode saber o que lhe vai acontecer, a semente jamais conheceu a flor. E a semente não pode nem mesmo acreditar que traga em si a potencialidade para transformar-se em uma bela flor. Longa é a jornada, e sempre será mais seguro não entrar nessa jornada, porque o percurso é desconhecido, e nada é garantido. Nada pode ser garantido. Mil e uma são as incertezas da jornada, muitos são os imprevistos – e a semente sente-se em segurança, escondida no interior de um caroço resistente. Ainda assim ela arrisca, esforça-se; desfaz-se da carapaça dura que é a sua segurança, e começa a mover-se. A luta começa no mesmo momento: a batalha com o solo, com as pedras, com a rocha. A semente era muito resistente, mas a plantinha será muito, muito delicada, e os perigos serão muitos. Não havia perigo para a semente, a semente poderia ter sobrevivido por milênios, mas para a plantinha os perigos são muitos. O brotinho lança-se, porém, ao desconhecido, em direção ao sol, em direção à fonte de luz, sem saber para onde, sem saber por quê. Enorme é a cruz a ser carregada, mas a semente está tomada por um sonho, e segue em frente.Semelhante é o caminho para o homem. É árduo. Muita coragem será necessária"

Tarot do Osho.

martes, junio 01, 2010

(...cont)

ELCA – Tens segredos que tu estás escondendo, né?

Etienne – Claro, ou deixam de ser segredos.

ELCA – Tua filha é filha de algum famoso?

Etienne – Não, é minha filha, e pronto, e mesmo que fosse, não contaria.

ELCA – Podes citar nomes, ou preferências?

Etienne – Vamos ver se não nos complicamos... Sabe uma música que chama "Paixão"?

ELCA – Sei, sei sim...

Etienne – Foi feita para mim, tenho os manuscritos e tudo. Nesta época eu gostava das bandas gaúchas.

ELCA – Tem mais na cena gaúcha?

Etienne – Tem sim, na cena gaúcha tem muita gente, entre homens e mulheres, sempre tive preferência por bateristas e baixistas. Vocalistas eu gostei de vários, mas são meio fracos de "espírito". Escrevi muito nestes anos, junto com os irmãos Ramil, Hermes Aquino, alguns foram meus colegas na PUC. Na cena nacional, acabei saindo umas vezes com o Sidney Magal, que é um desbunde na cama, todo aquele fogo latino que ele apresenta é real. Mas, claro, sem ser do rock, não pontua. Beijei o Cazuza quando fui ao Rock in Rio 85, a morte dele foi uma perda muito grande... Eu sofri muito, e depois com medo de ser soropositiva, mas não, não sou, graças a Deus. Quase morri até pegar os exames. Tu sabes que em oitenta e cinco a gente nunca pensava em usar camisinha, mas assim que o Cajú morreu, comecei a usar com frequência, sempre.

ELCA – Mas engravidou.

Etienne – Sim, depois do teste apresentado pelos dois.

ELCA – Mostra fotos?

Etienne – Com certeza


Neste momento se vê uma mulher de quarenta anos revivendo a história, cuidadosamente ela pega uma caixa de dentro de uma estante e começa a mostrar fotos


Etienne – Olha, o pessoal do Biquini Cavadão, nossa, fui muito apaixonada pelo Bruno Gouveia, mas não dava certo, ele era apaixonado por uma moça já há muito tempo, acabei sempre ficando com o Álvaro que depois virou um grande amigo. Cássia Eller, olha... Nossa a Cássia era um guri, sempre dando uma cantadinha, mas super tímida, essa banda sempre foi ótima. Acabei ficando com o Fernando Nunes, ótimo baixista, mas tinha umas manias bizarras, e não era tão mais velho do que eu... Fiquei com ele muito antes dele tocar com a Cássia, acabei reencontrando nesse dia. Olha eu na Argentina, que país!

ELCA – Nasceste lá, não é?

Etienne – Sim, sim, e lá eu tive muitos encontros interessantes. O Charly, sim o García, sempre queria me ver nua, me tocava muito pouco, mas estava sempre tão drogado que não tinha condição.

O Gringui Herrera eu fiquei num dia muito particular, fizemos uma festinha com Gullermo Vadalá. Foi um belo encontro. Miguel Cantilo também, olha aqui... É na casa dele depois de um concerto no Luna Park. Um dia conheci os Delírios del Mariscal... Que era o tecladista de uma banda que já estava extinta, chamada Crucis. Olha "qué hermoso" mas ele era bissexual, pra mim era bom, acabava eu com dois homens, só nunca gostei de estar com um homem e mais uma mulher, aí não. Sou muito possessiva.

ELCA – E mais longe?

Etienne – Sim, sempre. Quando morei em Londres, sempre fazia festas com roqueiros ingleses, inclusive brasileiros perdidos, cheguei a ficar um final de semana em Glastonburry cheia de gente conhecida, cheguei a ter contato com Jack Nicholson e Jimmy Page. Contato íntimo. O Jimmy Page é tarado e muito engraçado. Depois morei um tempo na América Central, mas já estava velhinha. (risos)

Assim que para não me incomodar, uma dia depois de milhares de ligações, pedidos absurdos, imagina que tinha um famoso, e eu não vou citar, me mandou as passagens, e queria que fosse viver com ele na ilha. Não com ele, mas em um apartamento, que eu, inclusive ajudei a decorar, nós éramos noivos e tudo, mas um dia eu cansei. Queimei o passaporte... Sabe a música do Calamaro? "Te vi quemando el pasaporte com rabia..." Claro que também tivemos uma história eu e ele, mas Andrés sempre foi meu amigo, acabou compondo muitas coisas para mim, eu sou "media Verónica" e tantas outras coisas.

ELCA – E depois disso?

Etienne – Nesse meio tempo estudei, namorei sério, noivei algumas vezes e tive a minha filha. Casei, não com o pai dela, e por amor, mesmo. Me formei, tenho meu trabalho, cuido da minha casa e das minhas plantas. Escrevo muito, se me sobra inspiração. Senão, cuido dos meus negócio, administro a nossa vida familiar.

ELCA – Teu marido te conheceu assim?

Etienne – Me conheceu num show. Mas eu já tinha parado com "o crime" (risos)

ELCA – Ele é músico?

Etienne – (risos) É, em partes.. Podemos pular esta pergunta?

ELCA – Entendi, tem alguém que faltou?

Etienne – Tu sabes que figurinha repetida não completa álbum, algumas eu repeti e me faltou foi o tempo. Sempre tive uma queda pelo Gustavo Cerati e pelo Fito Páez, beijei, mas só... O que me deixou na vontade foi o Spinetta. Que é um gênio. E eu encontrei algumas vezes em casas de amigos, mas, nunca deu certo, de repente eu não fazia o tipo dele.

ELCA – Tem ainda contato com alguém?

Etienne – Sim, com quase todos esses, mas bem esporadicamente. Eu casei, eles casaram. Às vezes a gente se encontra ainda, mas em rodas sociais.

ELCA – E são encontros naturais, o teu marido não tem ciúme?

Etienne – Nós não falamos muito sobre isso, e pronto. Se ele tem ciúme ele disfarça, claro que sei que tem, mas não dou certeza, ele sabe que sim, mas eu não respondo. Digo que tem que ter orgulho, os roqueiros bons que eu fiquei e conheci são pessoas que tem muita estima por mim, e o contato íntimo foi só um detalhe. Se eu fiz, foi porque eu podia fazer.

ELCA – E parou?

Etienne – E faz tempo, muito tempo. Não quero ser caricata, nem ridícula, groupies tem no máximo vinte e cinco anos, talvez alguma seja interessante com trinta, não sei, mas se são as mais ousadas, e mais saideiras, que bebem e dão vexame, fica muito feio...

ELCA – Algum outro ramo das artes?

Etienne – Aiaiaiai, não me complica, guria. Sim. Sempre fui intelectual, e transava com gente inteligente pra ver se absorvia alguma sabedoria. Amei alguns escritores, cineastas, filósofos. Mas aí é mais história... E podemos conversar sem esse gravador, né?

ELCA – Entendi... (risos)

Assim desliguei o gravador e me deliciei com dedicatórias, fotos, livros recortes. Ela termina olhando uma foto e dizendo:


"As melhores fotos são tiradas por fotógrafos que nos amam, e nós nem precisamos amá-los"


lunes, mayo 31, 2010

Etienne López - A groupie brasileira

Em dias de banalização de tudo, ousam nascer pelos backstages já sem glamour, groupies de todas as idades, de todos os tamanhos e de todas as raças. Odiadas por muitos e muito amadas por outros elas são diversão garantida para os astros do rock (e só contam os do rock) ao mesmo tempo que os astros também são diversão e pontuação garantida para elas. Em entrevista a este blog falou conosco Etienne López. Já com 40 anos, uma filha de 20 ,descendente de argentinos, bilíngue, ela contou-nos sem pudor o que acontece com uma groupie sul americana. Despojadamente vestindo jeans, cachecol roxo e camisa branca, nos recebeu em seu apartamento numa capital bastante arborizada do sul do brasil. Área nobre, espaço amplo, muitos livros, discos e fotos, sem muitos rococós, a decoração é formada por lembranças, fotos e alguns souvenirs:

ELCA – Como se sente tendo estado com pessoas e feito coisas que muitos gostariam de ter feito?

Etienne – Me sinto bem, realizada. Não é meu ganha pão, nem minha profissão, era um "hobbie fino" da minha juventude, digamos assim. Eu queria fazer, ia lá e fazia, se não queria eu ia embora. Dizia não e dava tchau.

ELCA – Quando começou a sair e ficar com músicos?

Etienne – Ih, já faz muito tempo, era bem adolescente, uns 16, 17 anos mesmo. Era uma questão de vaidade. Olhava e aqueles caras pareciam tão intocáveis, tão maravilhosos que eu dizia pra mim mesma: "Sim, vou lá, vou ficar com esse cara" E ia lá e ficava.

ELCA – E as amigas?

Etienne – Morriam de ciúmes, e umas ainda morrem, porque entravam nos camarins e queriam fazer, mas não faziam. Eu não, chegava cheia de charme e sabia que aos 17 anos, não tinha rockstar de 40,50 anos que pudesse resistir.

ELCA – E a relação que fazem entre groupies e prostitutas, tem a ver?

Etienne – Claro, hoje em dia elas fazem por grana, fazem por cocaína, fazem por um baseado.Eu não, fazia por amor, não ao músico em si, mas à "entidade" do rock. Eu só ia e ficava quando EU queria, não era assim, com dezessete anos eu era independente, fazia faculdade, morava sozinha, neste mesmo apartamento. Não me drogava, bebia um pouco, mas não interferia na rotina dos músicos, nem da equipe, na verdade na minha época as groupies eram da equipe da banda. Era da técnica.

ELCA – Tem algum segredo?

Etienne – Sim, tem vários. Tem nomes que eu jamais vou revelar, de cantores e músicos que fizeram músicas e carreiras baseados em relacionamentos sérios, firmes. Mas tem segredos que são reveláveis sim. Tu queres saber segredos íntimos ou segredos para ser uma boa groupie?

ELCA – (risos) Eu queria saber dos dois.

Etienne – Bom, para ser uma boa groupie, primeiro tem que ser uma groupie boa. Hoje eu tenho doze kilos a mais do que eu tinha aos dezessete anos, o que significa que eu nunca fui magrinha, mas sempre fui muito interessante. As modelinhos que andam por aí denigrem a nossa imagem, elas querem sair com os astros, transar, engravidar e ter um filho pra garantir uma pensão gorda. Claro que se houver uma relação, se houver sentimento, acontece. Só não pode enganar um homem, que diga-se de passagem é a criatura mais fácil de ser enganada. Mas a groupie não é uma mulher, amante, ou uma fã retardada. Nós somos em primeiro lugar amigas dos músicos, críticas e verdadeiras. Para ser bem sucedida precisei estudar muito, saber alguma coisa de música, que não seja só a música de trabalho do astro "alvo", conhecer as influencias, a história de vida, saber o nome dos instrumentos, as marcas, o valor que eles tem. Eu nuca falei muito e nunca fiquei contando por aí com quem eu ficava. Era um posicionamento de aparecer na sombra. Eu apareço nas fotos, tenho os registros, mas o que a imprensa divulgou foi sempre … superficial, extra oficial e inexato.

ELCA – É um comportamento escorregadio?

Etienne – É.

ELCA – E tu tocas algum instrumento?

Etienne – Se eu contar... (risos) Tocava... Fiz técnica vocal, aprendi um pouco de música clássica, cantei no coro na faculdade, e comecei a aprender piano, conheço partitura, notas, sabia dizer se estava afinado, se tinham, errado o tempo. Claro, anos de flamenco me ajudaram na questão do ritmo. Mas parei de tocar (risos)
 
... em breve a segunda parte

jueves, mayo 27, 2010

Desaluz

Cuando me rompiste la remera me gustó
un hechizo para mí vos desesperación
antes que des a luz
vos sabes que no pregunto no preguntes vos
asi la aurora no pregunta nada al sol
antes que des a luz
antes que des a luz.

Cuando te abrazas a mí no puedo respirar
me estas asfixiando con tu libertad

nadie se queda al fin, y al fin nadie se va
que suerte es este hermoso amanecer
tus ojos me dicen que existe el misterio
y es imposible que no queme el sol
y vos te venís tan loca
es el amor que no sabe fallar
y vos te venís tan loca
y tu corazón se vino así mi corazón
despegarlos es un crimen en cárcel es amor
antes que des a luz
aunque que no des a luz
vas a encender la luz.

Solo precisamos una casa
amarilla bajo los cielos del sur
te amaré sin razón
antes que des a luz

Escuchándolo en los auriculares, caminando por estas mañanas frías, es una sensación indescriptible, y es, encima inevitable no conmoverse. Rodolfo tiene eso, incluso conmigo, somos ese tipo de pareja que se entiende en otras esferas de la existéncia. Fito es un groso. Lo oigo, porque me gusta muchísimo la música, pero las letras me re emocionan. Y yo lo grito entre los que están conmigo: CON QUÉ DERECHO, CHE??? CON QUE DERECHO ME HACÉS EMOCIONAR DE ESTA FORMA, ME DEJÁS CON ESAS GANAS DE GRITAR. Y ME EMOCIONA TANTO QUE PARECE QUE SERÍA NECESARIO MORIR.
Fito: "Cuando te abrazás a mi no puedo respirar, me estás asfixiando con tu libertad..." Quizás sea la asfixia que siento cuando lo escucho...Hasta me duelen los huesos y el corazón. El tiempo transforma todo amor en casi nada, pero casi también es un detalle, un gran amor no se va a morir así... Por eso a veces te acordarás de mi... RC

martes, mayo 25, 2010

Pra quem não sabe como é:

Como reconhecer que você teve um orgasmo

- Podem acontecer contrações involuntárias da plataforma orgástica (parte externa da vagina)

- O clitóris fica ereto e sensível ao toque

- Os lábios vaginais ficam inchados e podem ficar mais escuros

- A respiração, a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos aumentam

- Perde-se o controle muscular voluntário, podendo ocorrer diversas contrações de músculos, do rosto, braços e pernas

- Segundos depois do orgasmo, pode aparecer uma sensação de relaxamento e tranquilidade

Fonte: Minha vida

lunes, mayo 24, 2010

A importância do vazio.

Tens o hábito de juntar objetos inúteis acreditando que um dia (não sabes quando) vais necessitar deles? Tens o hábito de juntar dinheiro sem gastá-lo, pois imaginas que ele poderá faltar no futuro? Tens o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outras coisas que já não usas há muito tempo?
E dentro de ti?... Tens o hábito de guardar raivas, essentimentos, tristezas, medos e outros sentimentos negativos?
Não faças isso!  Vai contra a tua prosperidade!
É preciso deixar um espaço, um vazio para que novas coisas cheguem à tua vida.  É preciso se desfazer do inútil que há em ti e em tua vida para que a prosperidade possa acontecer.
A força deste vazio é que atrairá e absorverá tudo o que desejas. Se acumulares objetos e sentimentos velhos e inúteis não terás espaço para novas oportunidades. Os bens necessitam circular. Limpe as gavetas, os armários, o depósito, a garagem… A mente…
Doe tudo aquilo que já não usas… 
A atitude de guardar um monte de coisas inúteis só acorrenta a tua vida. Não são só os objetos guardados que paralisam a tua vida.
Eis o significado da atitude de guardar: quando se guarda, se considera a possibilidade de falta, de carência… Acredita-se que, amanhã, poderá faltar e que não haverá maneira de suprir as necessidades… 
Com esse pensamento, estás enviando duas mensagens ao teu cérebro e à tua vida: A de que não confias no amanhã, e que o novo e o melhor NÃO são para ti…
Por isso te alegras guardando coisas velhas e inúteis. Até o que já perdeu a cor e o brilho…
Deixa entrar o novo em tua casa… E dentro de ti…

viernes, mayo 21, 2010

Coisas para (não) se dizer

  • Quero mais é que tu morra!
  • Tua mãe é mais!                                                                                       ou
  • Tua mãe também.
  • Não é a mãe que é puta, o pai que é corno.
  • No meu cu não, no teu!
  • Ok, não me importa!
  • Não te conheço, não te ouço!
  • Com a tua idade eu já tinha parado com essas baboseiras!
  • Esse teu comportamento eu larguei quando eu tava na sétima série.
  • Não enche que eu estudei em colégio de freira.
  • Eu avisei que devia ter estudado, mas não tanto assim.
  • Não bem, eu não me acho. Foi tu que me procurou!
  • Não, não me acho eu sou, e tu não é!
  • Toca RAUL! (toca na tua casa e soca no teu cu)
  • Foi meu, é teu, e logo vai ser de outra!
  • Grande? Ah, não, tu acha mesmo que teu pau é grande?
  • Cala a boca sua gorda! (essa pode matar)
  • Fica quieta que tu é feia e eu tô com medo!
  • Já tentou te tratar? Acho que tu tá com algum transtorno.
  • completando... Não deve ser de humor, eu acho que é de personalidade.
  • Aqui eu tô sozinha, mas o meu marido vem vindo aí atrás de ti com uma cara...
  • Sim, tô com a banda, com toda ela.
  • Sim, sou bissexual, mas quero pegar é a tua irmã!
  • Nem tenta...
  • Me mira, mas pelamordedeus, me erra.
  • Por que tu não estica o pau e enfia ele no teu cu pra ver se dá barato?
  • Sua retardada!
  • Como se não bastasse tu ser feia e gorda ainda por cima é malcriada.               
ou, melhor...
  • Tu ser feia e gorda é uma coisa, agora tu ser ridícula, aí á falta de esforço.
  • Ouvir essas merdas que tu tá dizendo ainda é melhor do que eu ser surda.    
ou...
  • Ler essa porra ainda foi melhor do que ter nascido cega!
Comemorando a sexta feira com garoa.
Melhor do que isso só quando a noite chegar...
Nham nham nham.
Não, eu não tô de mau humor, o texto é de ficção!

jueves, mayo 20, 2010

Gus: REZO POR VOS!

Gus no anda bien.
Quisiera poder verlo de nuevo, de cerca, ver los ojos que necesitan a estos cigarrillos que te matan.
Gus era fumador, anduvo fumando algo como 40 cigarrillos x dia.
Tuvo un patatuz bárbaro.. Yo quiero que siga hablando, que siga componiendo...
No se morirá jamás es cierto...
"Llega justo a tiempo..." No tengo palabras.